Coluna Olho no Pódio com Antonio Aragão: “Copa América – Ame-a ou Deixe-a”!

A quem interessa criticar a realização da Copa América no Brasil? Quem ganha e quem perde com essa polêmica? CBF errou ou acertou em aceitar trazer os jogos para nosso país? Perguntas que geram centenas de respostas ao gosto de quem está respondendo e de quem vai ler, envolve diferentes mundos e eu não vou entrar no mais sinistro deles que é a política, deixo para quem gosta.
Uma impensável guerra nos bastidores das redes de tvs brasileiras me aparece como primeira resposta. Até pouco tempo atrás a toda poderosa Rede Globo tinha os direitos de transmissão de todos os campeonatos e batia palmas para tudo que acontecia antes, durante e depois desses eventos, evitando ou efetivamente não fazendo nenhuma crítica aos mesmos. Algumas vezes outras redes transmitiam algo, a audiência era tão pequena e ocasional que nem incomodava o dia a dia na tv do plim-plim.
Vejo que essa realidade mudou: SBT, Record, Band, Disney e outras tem investido no esporte, principalmente no futebol e de forma duradoura com bons números nas medições de audiência, muitas vezes ganhando da Globo no horário. Isso doeu no bolso da toda-toda e como sabemos a Copa América será transmitida pelo SBT, com os mesmos times/atletas que jogam as eliminatórias e que todos nós podemos acompanhar em qual canal?
Aquele mesmo que exalta esses jogos e lidera uma verdadeira campanha negativa, influenciando o público em geral e com certeza afetará a audiência da tv do Sílvio Santos só não tenho certeza que não será um tiro saindo pela culatra.
Outra resposta a qual quero chamar a atenção dos amigos e das amigas que vão dedicar um pouco de seu tempo para ler esse mal escrito texto é a “Rebelião” dos atletas que atuam na Europa, liderados por Neymar, Thiago Silva (contundido e querendo se recuperar para voltar 100% para seu clube inglês) e também o Casemiro, esse talvez querendo encerrar a temporada em que ele e seu clube não ganharam nada.
Por que eu citei os possíveis motivos para dois dos líderes e do chefe maior, referência verde e amarelo eu nada citei? Porque os ganhos para Neymar são imensos e o primeiro já apareceu mesmo antes da Copa começar. Uma funcionária da NIKE, patrocinadora da seleção canarinho e antiga patrocinadora do atleta, está acusando o atleta de assédio e esse assunto era a manchete de todos os veículos de comunicação no Brasil.
Foi só a campanha Copa América Não! começar que esse tema tomou conta de todas as redações, programas jornalísticos, blogs de quem sempre escreveu sobre o futebol e também de muitos que nem do esporte bretão gostam e, claro só faziam criticar a decisão de sermos sede dos jogos e nada mais foi escrito sobre a grave acusação que o garoto de ouro vai ter que responder.
Como falei no início do texto existem diversas respostas que explicariam o posicionamento contrário ao torneio em terras tupiniquins e sobre a Copa América do Brasil ainda quero chamar a atenção para os jogadores que atuam na Europa e que deveriam estar agora de férias, curtindo com seus amigos e aglomerando sem se preocupar se todos estão negativados ou não. Ainda repercute na minha cabeça que o craque rubro negro Gabigol foi para um cassino em São Paulo com mais de 200 pessoas e quando viu a fiscalização se escondeu embaixo de uma mesa, demonstrando que tinha consciência de estar agindo errado.
Também lembro de outro carque do atual bicampeão brasileiro que foi flagrado em uma favela do Rio de Janeiro com dezenas de pessoas e sequer estava usando uma máscara de proteção. Detalhe: possivelmente por conta desse ato Arrascaeta vai desfalcar a seleção uruguaia nessa rodada dos ‘salutares’ jogos eliminatórios, já que testou positivo para Covid-19 e está em isolamento.
Por falar em isolamento eu me pergunto: será que esses atletas que não querem jogar a Copa América vão ficar em casa respeitando as restrições sanitárias? Será que veremos em breve fotos e vídeos dessa turma em festas e reuniões com seus amigos de infância? Será que esses craques aceitariam assinar um termo de ajustamento de conduta (nem sei se cabe esse termo aqui, mas vai ficar) em que eles se comprometem a doar um milhão de reais para instituições filantrópicas caso sejam flagrados em eventos não permitidos pelos comitês responsáveis pelo controle da pandemia?
Acredito que nenhum deles iria topar assinar apresentando 300 motivos para tal, o fato é que desde que o futebol voltou com os jogos no ano passado que eu defendo essas disputas e mantenho a mesma posição. Estadual, brasileiro, libertadores, Copa América e qualquer outro campeonato ou torneio podem apresentar os mesmos riscos e os mesmos protocolos que evitam ou reduzem ao menor número possível a contaminação, mas não existe um que vai aumentar e outro que não vai.
Quem pode permanecer em casa respeitando as orientações sanitárias e gosta de novela, tem opção o dia todo, quem gosta de filmes e séries também tem, o mesmo acontecendo para os que gostam de programas de variedades e etc. Para quem gosta do futebol? Do voleibol? Do tênis? Quais as opções que ajudariam a tornar menos doloroso passar um dia inteiro em casa?
Por favor não me falem que os jogos podem ser reprisados, assim como as novelas, filmes e séries. As emoções do esporte estão principalmente em não saber quem vai ganhar, torcer para um lado ser o vencedor, vibrar com cada ponto ou gol conquistado, ver uma virada de placar, uma nova marca ser batida nos esportes em que os atletas lutam contra o relógio.
Assim as angúrias desses tempos tão difíceis para todos nós se tornam menos dolorosas, o tempo de uma partida trás um alento, enche de alegria corações que andam tão sofridos, permite momentos de alegria e tornam o dia mais agradável. Que todos os envolvidos se protejam, sigam os protocolos de segurança e sigam jogando, que qualquer tv possa mostrar e nós, os amantes dos esportes, tenhamos momentos divertidos enquanto a cura da covid-19 não chega.

Coluna “Olho no Pódio” com Antônio Aragão  (radialista/jornalista esportivo)

https://folhadesergipe.com/

2 respostas

  1. Boa tarde Aragão!

    É preciso mto equilíbrio emocional/político e respeito ao seu apelo no texto, para não falar desse universo de hipocrisia criado o não para Copa América ser realizada no Brasil .
    Mas os meus parabéns! Pelo novo trabalho na Folha de Sergipe.

    Abraço!

    1. Obrigado pela participação, a coluna é democrática e respeita todas as opiniões, assim como não é nossa intenção faltar com o respeito com ninguém. Vamos defender a bandeira do esporte, preferencialmente o sergipano.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: