‘É questão de tempo a cassação do pior prefeito que Socorro já teve’, diz Samuel Carvalho sobre Inaldo

Para o deputado estadual, Samuel Carvalho (Cidadania), o prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Padre Inaldo (PP), deve ter seu mandato cassado em breve diante de crimes cometidos durante a campanha eleitoral de 2020.

“Eu acredito sim que é questão de tempo a cassação do prefeito, diante das situações de abuso de político econômico durante a campanha e crimes como candidatura laranja de mulheres e outros crimes”, comentou Samuel durante entrevista ao Jornal da Fan da Rádio Fan FM na manhã desta segunda-feira, 26.

O parlamentar fez duras críticas ao prefeito, alegando que Inaldo faz uma administração falha no município e que a atual gestão de Socorro não é outra “por conta da divisão da oposição nas eleições”.

“A gestão não mudou em nada, é a mesma continuidade, é o mesmo grupo político há mais de 10 anos. Um dos maiores problemas enfrentados no município é na saúde e na infraestrutura, que vivem no descaso. Talvez esta gestão esteja pior do que a gestão passada”, disse o deputado.

‘É questão de tempo a cassação do pior prefeito que Socorro já teve’, diz Samuel Carvalho sobre Inaldo

Samuel acredita que o planejamento de uma pré-candidatura de um deputado por parte do grupo político de Inaldo para 2022 tem como esforço “matar politicamente” sua imagem e atuação na política. Ainda assim, alegou estar tranquilo com seu papel parlamentar e espera que “a força da máquina do município não atrapalhe sua reeleição”.

Cidadania

Ele falou sobre a saída do Dr. Emerson e de Danielle Garcia do Cidadania. Segundo Samuel, por conta da pandemia e as medidas de isolamento social, Dr. Emerson acabou ficando isolado durante a campanha, sem que pudesse participar ativamente nas ruas em busca de votos que garantissem sua eleição. Já sobre Danielle, o parlamentar afirmou que sua saída foi para ampliar o grupo com tempo de TV em uma composição mais ampla para as próximas eleições.

Ele disse que o partido vem forte para as próximas eleições e que atualmente possui ótimos nomes tanto na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), como na Câmara Municipal de Aracaju e que cada um deles “tem certa independência dentro do partido”.

Bolsonaro

O deputado disse em resposta ao questionamento de um ouvinte do Jornal da Fan que não concorda que chamem o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de genocida, pois, segundo ele “toda regra de biossegurança faz parte das medidas adotadas por governadores e por prefeitos”. Para Samuel, o erro do governo federal foi em relação à vacinação.

 

 

Home

Deixe uma resposta