CARLOS BATALHA: BELIVALDO E ANDRÉ MOURA. SURPRESA?

A manchete acima pode surpreender?

Talvez.

Na realidade, a principal notícia política da semana, foi o convite feito pelo Governador Belivaldo Chagas  ao empresário Zeca (convite aceito), pra que assumisse a Secretaria Especial da Casa Civil.

A surpresa não foi pelo fato do convite em si, mesmo porque Zeca é uma pessoa altamente qualificada para o cargo, tendo sido ex-vereador, ex-deputado estadual, ex-secretário de estado de desenvolvimento no governo Marcelo Déda, e presidente do Iplese, instituto de previdência da Assembléia Legislativa.

A surpresa é pelo fato de que Zeca é uma pessoa fortemente ligada ao ex-deputado André Moura, sendo inclusive dirigente do PSL em nosso estado. Tendo coordenado algumas campanhas eleitorais do ex-deputado, Zeca irá exercer um cargo essencialmente político, onde as articulações são necessárias a cada momento, principalmente às vésperas de eleições como é o caso agora, diante da aproximação do pleito de 2022.

ZUM,ZUM,ZUM

 

Tão logo a notícia do nome de Zeca para compor o secretariado de Belivaldo ganhou às ruas, as especulações começaram. O zum,zum,zum tomou conta dos noticiários políticos, em especial através das redes sociais, várias perguntas foram, e continuam sendo feitas.

O que significa a presença de Zeca no governo?

Belivaldo apoiará André Moura em 2022?

André Moura será o candidato do galeguinho à sua sucessão?

André Moura será o candidato de Belivaldo ao senado?

E o PT como fica?

A saída de Silvio Santos já é a confirmação de rompimento?

Foram algumas das perguntas feitas durante esses dias, sem que respostas concretas fossem datas.

 

ONDE HÁ FUMAÇA, HÁ FOGO.

 

A verdade é uma só.

Diz o velho ditado que “onde há fumaça, há fogo”.

Belivaldo não é nenhuma criança. Caminhando na política já quase 40 anos, não foi por acaso que ele chegou ao cargo de governador.

Exercendo vários cargos eletivos (deputado, vice-governador, e governador), além de secretário de variadas pastas, o galeguinho de Simão Dias acumulou experiência suficiente para saber que passo seguir doravante.

Não podendo ser candidato à reeleição, o mais alto mandatário do estado costuma dizer que na política o comportamento correto é “um passo de cada vez”. Em assim sendo, o primeiro passo já foi dado rumo a 2022. No entanto, a dúvida persiste. Qual o caminho a seguir com André. Governo ou senado?

 

 

UM LEÃO POLÍTICO

Ninguém em Sergipe nega os atributos políticos de André Moura.

Não resta a menor dúvida que o ex-deputado é um verdadeiro “animal político”.

Trilhando uma carreira de sucesso que nasceu lá atrás como prefeito de Pirambu, André foi galgando vitórias sobre vitórias, chegando ao ponto de no ano de 2018 liderar praticamente todas as pesquisas para o senado da república, e também para o governo do estado, só não sendo um dos nossos representantes hoje no Congresso Nacional em função de acidente de percurso ocorrido na eleição de 2018 com vários deslizes que foram cometidos pela sua equipe de marketing, sendo o principal deles a insistência em utilizar à exaustão o título que ocupava de líder do governo Temer, um governo que estava totalmente desgastado e desmoralizado.

Após a derrota das últimas eleições, André deu a volta por cima e hoje além de ocupar a chefia da representação do governo do Rio de Janeiro em Brasília, cargo equivalente a secretário, continua colaborando muito com Sergipe, através de liberações de emendas, credenciando-se, portanto, de forma inquestionável a disputar um cargo majoritário em nosso estado.

Vamos aguardar os próximos capítulos.

 

Carlos Batalha

 

Home

Deixe uma resposta