Ameaçado de extinção, furão-de-patas-negras é resgatado pela Adema

Veloz, olfato aguçado e bom apetite são características peculiares de uma espécie rara e ameaçada em extinção encontrada por moradores de uma residência, localizada no município de Pedrinhas, no território Sul do Estado, na última segunda-feira, 22. Trata-se de um Furão-de-patas-negras (Galictis cuja), mamífero nativo dos Estados Unidos e que somente existe em virtude das iniciativas de reprodução em cativeiro e a reintrodução à natureza.

Acionada, a equipe de técnicos da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) fez o recolhimento do animal silvestre e observou um nível de estresse em virtude do espaço no qual foi encontrado, mas, em geral, o bicho estava saudável. O animal foi destinado à soltura em área de preservação ambiental. Segundo o Diretor-Presidente da Adema, Gilvan Dias, há relatos de moradores que esses animais tem o costume de invadir quintais e residências, mas, segundo o presidente a presença do mamífero resgatado também auxilia no controle de pragas, como ratos e camundongos. “Esse animal silvestre também pode ser encontrado nas Américas Central e do Sul, na região Sul do México até o Brasil e na Bolívia. Ele é protegido por lei no Brasil porque corre risco de extinção”, explica

Ameaçado de extinção, furão-de-patas-negras é resgatado pela Adema

O animal que pode chegar a medir cerca de 69 centímetros e pesa no máximo 2 quilos e não deve ser caçado e nem ser mantido em cativeiro. Segundo a lei: “Guarda de animais silvestres sem autorização do órgão competente é crime e conta como infração ambiental, conforme artigo 29 da Lei Federal nº 9.605 / 1998, e artigo nº 24 do Decreto Federal nº 6.514 / 2008, sob pena de multa no valor de R$ 500,00 por animal, ou de R$ 5.000,00 se ele estiver ameaçado de extinção”.

A Adema, responsável pela preservação da fauna e flora de Sergipe, informa que, ao encontrar qualquer espécie de animal silvestre, é necessário acionar a equipe especializada para fazer o resgate ou entrega voluntária, pelo telefone (79) 99191-5535.

Fonte: Ascom/Sedurbs

 

Home

Deixe uma resposta