Cidown faz campanha pedindo vacinação de pessoas com síndrome de Down

A Associação Sergipana dos Cidadãos com Síndrome de Down (Cidown) emitiu uma carta aberta à população, apresentando circunstâncias que se colocam como comorbidades e dificuldades enfrentadas pelos portadores da síndrome. Como base nelas, a associação solicita prioridade na vacinação daqueles que forem maiores de 18 anos.

O documento pede apoio aos gestores estaduais e municipais, que seja feita a inclusão imediata das pessoas portadoras de Down na segunda fase do cronograma de vacinação, descrevendo os aspectos influentes para a maior facilidade de contágio pela Covid-19. A entidade utilizou como base um estudo da Universidade de Oxford (GBR), divulgado pela revista Science, uma das mais respeitadas em âmbito mundial.

Entre os fatores que tornam mais vulneráveis os portadores de Down estão eventuais dificuldades de seguir os protocolos de biossegurança, intolerância sensorial ao uso de máscaras, dificuldade de reconhecer e informar os sintomas. São citadas ainda comorbidades como problemas cardíacos, baixa imunidade, hipotonia (flacidez muscular corporal), problemas de ordem respiratória, envelhecimento precoce, obesidade e diabetes.

Também foi explicitado no documento emitido pela Cidown que a Lei Brasileira de Inclusão qualifica a pessoa com deficiência como pessoa vulnerável em situação de risco, emergência ou calamidade pública. Alguns municípios do Brasil foram citados como exemplo de prioridade já conferida na vacinação de portadores de Down, entre eles Natal (RN) e João Pessoa (PB) e outros quatro no Mato Grosso do Sul – a capital, Campo Grande, além de Sidrolândia, Jardim e Dourados.

.

Edição de texto: Monica Pinto

 

Por Marcio Rocha

Home

Deixe uma resposta